Capital mineira recebe Painel de Bandas Funarte com músicos de seis estados brasileiros


14/11/2017



Três dias de imersão musical. Assim foi o Painel Funarte de Bandas, que recebeu 133 músicos atuantes em bandas civis de música durante cursos intensivos de capacitação para regentes e instrumentistas de sopro e percussão. Realizado no Sesc Venda Nova, o curso foi composto de aulas de instrumentos, práticas de conjunto, música de câmara, percepção musical, arranjos e regência, além de treinamento em manutenção básica e reparo de instrumentos de sopro. Promovido pela Funarte, o evento teve apoio da Secretaria de Estado de Cultura e do Sesc em Minas. Participaram do encontro bandas e instrumentistas do Espírito Santo, Distrito Federal, Rio de Janeiro, Ceará e Bahia. Além, é claro, de Minas Gerais, que possui aproximadamente 700 bandas de música espalhadas por seus territórios de desenvolvimento.

O Painel Funarte foi dividido em quatro áreas:  instrumentos de percussão, madeira, metais e aulas de regência, atendendo a uma demanda constante de formação e aprimoramento dos músicos, conforme avalia Manuel Pereira da Silva, maestro da banda Lira 30 de janeiro, de Governador Valadares, no Vale do Rio Doce. “O Painel é uma chance de unir grandes maestros e músicos para fornecer um aprendizado muito valioso. Os cursos auxiliam muito na formação musical, já que oferecem um largo espectro teórico e prático”, comentou o músico.

O encerramento da edição 2017 aconteceu neste domingo (12) e teve apresentação musical dos participantes, além das presenças do secretário de Estado de Cultura, Angelo Oswaldo, da gerente de Cultura do Sesc em Minas, Eliane Parreiras, da coordenadora do Painel Funarte, Rosana Lemos, e do diretor do Centro da Música Funarte, Marcos Souza. Destaque para a execução de três peças musicais, entre elas a Fon-Fon (Toot-Toot) do compositor Ernesto Nazareth (1863 - 1934), que ganhou uma versão arranjada pelo músico mineiro Renato Goulart, com solo de madeira do professor carioca Marco Túlio.



Citando uma frase do já falecido arcebispo de Mariana, Dom Oscar Oliveira (1912-1997), o secretário Angelo Oswaldo reiterou a importância das bandas de música e de eventos como o Painel Funarte. “Gosto de lembrar sempre de uma frase de um arcebispo mineiro que dizia que festa sem banda é arroz doce sem canela, não tem gosto. Em Minas Gerais nós sabemos disso, seja em uma festa cívica, militar ou religiosa, a banda de música é essencial”, pontuou Angelo. Para ele, as políticas públicas de fortalecimento das bandas de música como corporações é imprescindível para o desenvolvimento cultural, social e econômico de uma região. “Se não falarmos em cultura, se não estimularmos as artes com uma visão cultural ampla, nós não podemos falar em desenvolvimento”, avaliou Angelo.

A manutenção das bandas de música foi celebrada por todos ali presentes, como pelo diretor do Centro da Música Funarte, Marcos Souza. “A música e a cidadania são a saída para o nosso país. A transformação e ação que a Funarte faz há 40 anos já envolve 2700 escolas pelo Brasil e este espaço é mais um lugar de fomento à capacitação das bandas”, disse. Para a gerente de Cultura do Sesc em Minas, Eliane Parreiras, as bandas de música são uma tradição do estado e do Brasil, por isso todo o trabalho que fortaleça os músicos é importante para o incentivo e manutenção dessa manifestação artística. “Fico feliz com a quantidade de jovens dando continuidade a essa tradição. O Sesc atua não só na difusão e da circulação das bandas de música, mas também no fomento da produção, no registro e proteção desse patrimônio musical”, afirmou Eliane. Visivelmente emocionada, a coordenadora do Painel de Bandas Funarte, Rosana Lemos, fez um apelo para os músicos participantes do evento. “Espero que vocês percebam o quão vocês são valiosos, o quão são importantes para que essa tradição das bandas de música permaneça. E que vocês não desistam nunca, porque se vocês desistirem, a tradição acaba”, disse.



EDITAL BANDAS DE MINAS DA SECRETARIA DE ESTADO DE CULTURA

Como forma de incentivar ainda mais as bandas de música e manter as tradições dessa importante manifestação artística, a Secretaria de Estado de Cultura lança em 22 de novembro, dia de Santa Cecília, a padroeira dos músicos e da música sacra, a edição 2017 do Edital Bandas de Minas. Este ano, o certame conta com R$ 1,5 milhão, sendo R$ 1 milhão destinado a bandas civis e R$ 500 mil reais a bandas militares. O objetivo é valorizar as bandas civis de música, por meio de doações de instrumentos musicais, e kits de partituras, bem como a realização de cursos e oficinas de capacitação.